domingo, 17 de agosto de 2014

A missão do Espiritismo

Os espíritas precisam saber qual é a missão do Espiritismo, pois só assim será possível determinar, sem ambiguidades, aquilo que a Doutrina dos Espíritos pode oferecer a humanidade.
   Música "Espiritismo uma nova era para Humanidade" 10
  O Espritismo, através da ciência, demonstra que o mundo espiritual é uma realidade, ou seja, revela de forma patente a existência dos Espíritos que são seres inteligentes do Universo que vivem fora do mundo material e estão por toda parte1. Apesar de invisíveis aos olhos da carne, estão incessantemente influenciando o mundo material, principalmente nas decisões humanas, quer de forma oculta ou ostensiva.
Os Espíritos influenciam o homem ocultamente, sugerindo através da intuição e inspiração ideias que muitas vezes se confundem com o nosso próprio pensamento. Cabe a nós, à luz da razão, discernir um pensamento bom de um ruim. As influências ostensivas se dão através das comunicações espíritas, que podem ser fenômenos de efeitos físicos ou inteligentes. São exemplos de efeitos físicos os fenômenos das mesas girantes, e inteligentes as comunicações pela fala e escrita. O médium, pessoa dotada de uma faculdade especial, é o responsável por estabelecer este intercâmbio entre o mundo espiritual e material.  
Muitos dos Espíritos que se comunicaram revelam, e dão demonstração da sua identidade, que foram as almas de mulheres e homens que viveram na Terra, despojados de seus corpos materiais, mas que conservam a sua consciência, individualidade, inteligência, conhecimentos e caráter. Segue daí que a alma é imortal.  
As relações estabelecidas entre o mundo espiritual e material são submetidas às leis imutáveis reveladas pelo Espiritismo ao homem, retirando destes fenômenos o caráter miraculoso e sobrenatural, pois são consequências de leis espirituais que até então eram desconhecidas. Portanto, o espírita deve encará-los de forma natural, assim como a humanidade hoje encara com naturalidade o aparente movimento do Sol, que nos dá o dia e a noite, provocado pelo movimento de rotação da Terra.
A demonstração da imortalidade da alma, através da ciência espírita2, é capital para o Espiritismo, pois traz gravíssimas consequências para a humanidade. Degola qualquer filosofia materialista que, infelizmente, até os dias de hoje, induz o homem à satisfação plena dos prazeres terrenos, pois ele ignora a necessidade da aquisição das virtudes espirituais. São apenas estas e seus vícios que estarão em sua bagagem quando retornar ao mundo espiritual. Chegando lá lhe será feita a seguinte pergunta: “Que trazes contigo?”3.
Diferente dos tribunais terrenos, onde é possível ser absolvido dos crimes mais hediondos por falta de provas, no mundo espiritual o hipócrita será revelado assim como todos os seus crimes cometidos, porque não há por onde fugir, pois será a sua própria consciência que lhe condenará.
Será que a demonstração da imortalidade da alma não bastaria para conscientizar mulheres e homens a retomar o caminho do bem? Infelizmente não. Era necessário um corpo filosófico sólido e coerente que convencesse através da razão todos os matizes do mundo espiritual.
As verdades espirituais que foram reveladas pelo Espiritismo de forma clara e sem ambiguidades, passaram pelo controle Universal do ensino dos Espíritos4. A diversidade dos Espíritos5, que é ponto elementar da Doutrina, obrigou Kardec a se munir de um método que pudesse lhe garantir que as instruções recebidas fossem oriundas dos Espíritos Superiores, pois são eles que reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade6. Este é um dos pontos principais da ciência espírita que será desenvolvido num artigo futuro deste blog. Assim, quando se fala em filosofia espírita7, refere-se ao conjunto de ensinamentos concordantes dos Espíritos Superiores que nos deram através da mediunidade.
A filosofia espírita é consonante com os ensinos de Jesus de Nazaré, ou seja, a moral dos Espíritos Superiores é a mesma moral de Jesus, abstraindo todo e qualquer tipo de dogma criado pela religião. Foram estes os motivos que levaram Kardec a formular a pergunta de nº 627 de “O Livro dos Espíritos” que segue abaixo na íntegra.
Uma vez que Jesus ensinou as verdadeiras Leis de Deus, qual a utilidade do ensino que os Espíritos dão? Terão que nos ensinar mais alguma coisa?
“Jesus empregava amiúde, na sua linguagem, alegorias e parábolas, porque falava de conformidade com os tempos e os lugares. faz-se mister agora que a verdade se torne inteligível para todo mundo. Muito necessário é que aquelas leis sejam explicadas e desenvolvidas, tão poucos são os que as compreendem e ainda menos os que as praticam. A nossa missão consiste em abrir os olhos e os ouvidos a todos, confundindo os orgulhosos e desmascarando os hipócritas: os que vestem a capa da virtude e da religião, a fim de ocultarem suas torpezas. O ensino dos Espíritos tem que ser claro e sem equívocos, para que ninguém possa pretextar ignorância e para que todos o possam julgar e apreciar com a razão. Estamos incumbidos de preparar o reino do bem que Jesus anunciou. Daí a necessidade de que a ninguém seja possível interpretar a lei de Deus ao sabor de suas paixões, nem falsear o sentido de uma lei toda de amor e de caridade.”8
O Espiritismo tem a missão de resgatar a essência da filosofia de Jesus, que infelizmente foi deturpada e mal interpretada com fins de atender aos interesses humanos, tornando a religião uma ferramenta eficiente para alcançar seus objetivos exclusivamente materiais.
O Espiritismo tem a missão de desenvolver e acrescentar tudo aquilo que Jesus não pôde fazer, pois a humanidade daquela época não estava suficientemente amadurecida para receber muitas verdades espirituais. São chegados os tempos que os ensinamentos espirituais devem ser transparentes e sem dupla interpretação, para quem quiser aprender.                        
As leis de Deus, que são imutáveis, estão presentes na moral de Jesus de Nazaré assim como nos ensinamentos dos Espíritos Superiores, pois ambas promanam da mesma fonte. Esta é a razão de Kardec sentenciar: “O Cristianismo e o Espiritismo ensinam a mesma coisa.”9
Portanto, o Espiritismo tem como objetivo final a conscientização do homem para a necessidade da sua transformação moral. O esclarecimento que a filosofia espírita lhe dá, torna-o mais responsável no que pensa, fala e faz, agindo com maior bondade para com seu próximo em todas as circunstâncias da vida. 
Por João Viegas
Referências bibliográficas:
1. KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Tradução de Guillon Ribeiro. 74ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, Origem e natureza dos Espíritos, cap. I Dos Espíritos, Parte Segunda – Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos.
2. Leia o artigo “O Que é o Espiritismo?
1. KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Tradução de Guillon Ribeiro. 74ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, Conhecimento de si mesmo, cap. XII Da perfeição moral, Parte Terceira – Das leis morais
3. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Tradução de Guillon Ribeiro. 99ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, A Verdadeira Propriedade, cap. XVI Não se pode servir a Deus e a Mamon
4. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Tradução de Guillon Ribeiro. 99ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, Autoridade da Doutrina Espírita, item II, Introdução.
5. Leia o artigo “A Diversidade dos Espíritos
6. KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Tradução de Guillon Ribeiro. 74ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, Segunda Ordem. – Bons Espíritos, cap. I Dos Espíritos, Parte Segunda – Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos.
7. Leia o artigo “Os Princípios Fundamentais”.
8. KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Tradução de Guillon Ribeiro. 74ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, Conhecimento da lei natural, cap. I Da Lei Divina ou Natural, Parte Terceira – Das leis morais.
9. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Tradução de Guillon Ribeiro. 99ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, Sócrates e Platão, precursores da idéia cristã e do Espiritismo, item IV, Introdução.
     10. Música "Espiritismo uma nova era para a Humanidade" de autoria de Roger Moreira, interpretada pelo Grupo Harmonia.

Deixe aqui seu comentário. Faça sua crítica, elogio e/ou sugestão. Este é um ambiente para debatermos sobre o Espiritismo. Portanto, esteja à vontade para questionar e/ou tirar dúvidas.
Se desejar orientações de como proceder para postar um comentário, clique no link abaixo:

6 comentários:

  1. Grande Viegas! O blog cada vez melhor em meu amigo? Ótimas palavras que nos faz refletir sobre a grande responsabilidade que temos, enquanto conhecedores da doutrina espírita, sobre nossa consciência, nosso corpo e nossas ações. O alicerce nas palavras do nosso irmão Jesus, é o ponto de partida para que nós possamos construir nossa evolução espiritual e assim, por em prática tudo aquilo que Ele nos ensinou.

    ResponderExcluir
  2. Saudações meu nobre amigo!
    Agradeço as suas palavras, seu apoio e incentivo.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. João, seu artigo sintetiza de forma clara a missão do espiritismo e sem dúvida reforça o chamado à mudança moral movida pela convicção na imortalidade da alma. Gostei bastante! =D

    ResponderExcluir
  4. Vinícia! Agradeço as suas palavras! A clareza, a lógica e a razão são atributos da Doutrina espírita, e esses são os motivos de Kardec chamar os espíritas de adeptos do Espiritismo, e não crentes. Assim, a convicção na imortalidade deve ser a busca incessante de todo espírita.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. A missão do espiritismo está consolidada. E como cada um tem sua missão particular, em geral levamos um tempo para decobri-la. Percebo que uma parte da sua missão está sendo trabalhada e desvendada a cada trabalho, texto ou artigo que vc produz. Assim como na natureza muito bem contextualizada em seu penúltimo artigo, os animais apresentam suas potencialidades, porque para nós, seres individualizados seria diferente?! Parabéns pela pesquisa, escrita e reflexões propostas pelo texto! Sua confiança e entusiasmo são perceptíveis no decorrer da leitura.

    ResponderExcluir
  6. Sou muito grato pelas suas palavras de apoio, incentivo e de sinceridade! Compreendo perfeitamente o que disse, pois todos que estão encarnados tem algo a fazer, cada um de acordo com as suas aptidões, possibilidades e necessidades. No entanto, prefiro colocar-me apenas como um mero colaborador da difusão das idéias espíritas, pois todos nós devemos estar convencidos da necessidade de levantar esta bandeira, seja pelo pensamento, palavras e principalmente ações.

    ResponderExcluir