domingo, 27 de julho de 2014

A Inspiração que vem dos Pais da Natureza

O pinguim-imperador e seu filhote  
A Natureza é fonte inesgotável de inspiração. Podemos e devemos aprender com ela, pois nos dá lições inesquecíveis. Em homenagem ao Dia dos Pais, que se comemora no 2º domingo do mês de agosto, gostaria de fazer uma menção honrosa àquele que podemos eleger o melhor pai da Natureza: o pinguim-imperador. Quem já viu o filme “Happy Feet – O Pinguim”, lançado em 2006, sabe do que estou falando.
O pinguim-imperador vive na Antártica, região de clima extremo, principalmente no inverno que tem ventos fortes que fazem a temperatura cair para 70ºC negativos. A fêmea entrega o ovo ao seu parceiro e ela segue viagem em busca de alimento. Porém, só voltará quando o inverno acabar.
Enquanto isso, o macho tem sobre seus pés a responsabilidade de chocar seu herdeiro. Sem bebida e nem comida, só lhe resta esperar entre 2 a 4 meses até aparecer os primeiros raios de sol.
Porém, essa espera é uma batalha incessante contra o frio. O grupo de pinguins machos que guardam seus ovos, permanecem unidos para se manterem aquecidos, revezando suas posições para todos sobreviverem. O pinguim sabe que não pode se descuidar, pois se deixar o ovo escapar e cair no chão gelado, poderá ser fatal.
Mesmo tendo vencido o inverno e seu filhote ter nascido, a sua tarefa não acabou. É necessário esperar o retorno de sua parceira com os peixes. Tendo perdido a metade de seu peso, ele ainda produz uma secreção proteica, semelhante ao leite, para garantir a sobrevivência de seu filhote até a chegada dela.
Quando a fêmea chega, saciando a fome dos dois, existe, a partir de agora, um trabalho de cooperação do casal, revezando-se entre cuidar do filhote e caçar, até que ele ganhe a sua liberdade.
Diante deste quadro acima, vem a seguinte pergunta: Qual é a motivação do pinguim-imperador? A Biologia nos esclarece que o desejo de levar a frente a sua linhagem, com sua carga genética, é que leva o pinguim a se submeter a todo tipo de sacrifício pela sobrevivência da prole. Faz parte do instinto de sobrevivência da espécie. No entanto, qual deve ser a motivação dos pais humanos, em especial, dos pais espíritas?    
A consciência que somos Espíritos imortais, que a nossa verdadeira Pátria é o mundo espiritual, que estamos revestindo esse corpo carnal temporariamente para galgar mais um degrau na senda do progresso, rumo à perfeição, que somos criações de Deus, e seu ato de nos criar se deu muito antes da concepção carnal, que a nossa história conta de muitas existências e ainda teremos tantas outras quantas forem necessárias, nos força encarar os laços de família de maneira muito diversa.
A família é o reencontro de almas que já se relacionaram em encarnações anteriores. São amores, mas também desafetos do passado, que estão ligados pelos laços sanguíneos para fortalecer os laços de amor e cumprir as tarefas redentoras da reconciliação e da reparação. Se Deus nos permitiu a bênção do esquecimento deste passado é para nos ajudar no cumprimento de nossas atribuições, e assim termos a certeza do que importa é o que vamos fazer daqui pra frente.
Portanto, temos motivos muito mais nobres que o pinguim-imperador para sermos pais exemplares. Temos, por sua vez, a obrigação de ser muito mais cuidadosos que eles. No entanto, em momentos de vacilação, de dúvida, de cansaço, de depressão no exercício de nossas tarefas familiares, lembremo-nos dos melhores pais da Natureza.
                                                                                  Por João Viegas

Referências bibliográficas:
1. KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. Tradução de Guillon Ribeiro. 74ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, Laços de família, cap. VII Da Lei de Sociedade, Parte Terceira – Das leis morais
2. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Tradução de Guillon Ribeiro. 99ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, A Ingratidão dos filhos e os laços de família, cap. XIV Honrai a Vosso Pai e a Vossa Mãe.

Deixe aqui seu comentário. Faça sua crítica, elogio e/ou sugestão. Este é um ambiente para debatermos sobre o Espiritismo. Portanto, esteja à vontade para questionar e/ou tirar dúvidas.
Se desejar orientações de como proceder para postar um comentário, clique no link abaixo:


2 comentários:

  1. João, adorei o artigo!! A natureza é verdadeiramente maravilhosa e inspiradora e nos lembra a grandiosidade da vida e de Deus!!

    ResponderExcluir
  2. Vinícia! Suas palavras também são fonte inspiradora para dar prosseguimento a este trabalho. Muito obrigado!

    ResponderExcluir